English Portuguese Spanish

Pesquisar no nosso Site



AGQ Brasil - Itens filtrados por data: Março 2016
Se a sua empresa deseja um “visto” de acesso a mercados mais exigentes, competindo lado a lado com outros países que já possuem sistemas análogos de medição e certificação de Carbono, busque a certificação com a ajuda da AGQ Brasil.
São Paulo – Seja para reduzir seus impactos no meio ambiente, aumentar a competitividade no cenário internacional, ou ainda por pressões do próprio mercado consumidor, cada vez mais empresas buscam certificações que atestem a sustentabilidade de suas operações e produtos. A partir desta quarta-feira (06), as indústrias brasileiras contam com um nova certificação para comunicar seus esforços, emitida pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).
O certificado medirá a pegada de carbono e de água das indústrias, ou seja, quanto dióxido de carbono (CO2) e outros gases de efeito estufa (GEE) associados foram lançados na atmosfera para produzir um determinado produto ou matéria-prima, e o volume de água usado no processo.
Ao mensurar esses pontos, será possível registrar a “pegada de carbono”  e de água deixada ao longo da produção de itens como aço, alumínio, cimento e vidro e, a partir daí, identificar oportunidades para otimizar os processos e reduzir impactos.
O sistema, que será operado pela ABNT Certificadora, foi criado por meio de um processo participativo que envolveu a indústria brasileira e guiado pelo Carbon Trust, consultoria global de estímulo à economia de baixo carbono
A concepção e desenvolvimento do sistema contou com o apoio institucional do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC) e com financiamento do Prosperity Fund, da Embaixada Britânica em Brasília.
Vantagens competitivas 
A certificação envolve 20 empresas, que aderiram ao projeto voluntariamente, dentre estas estão grandes empresas como Braskem, CSN, Saint-Gobain, Arcelor Mittal, Votorantim, Novelis e Grupo ReciclaBR, ao lado de pequenas empresas como BR Goods e EDB Polióis Vegetais do Brasil.
Receber a certificação é como ganhar um “visto” de acesso a mercados mais exigentes, competindo lado a lado com outros países que já possuem sistemas análogos de medição e certificação, como China, Coréia do Sul, Hong Kong, México, Malásia, Reino Unido, Taiwan e Tailândia.
“Na prática, esse sistema irá estimular as empresas a reduzirem suas emissões, pois elas poderão comparar seus números aos de companhias em outros países ao redor do mundo”, diz a EXAME.com João Lampreia, gerente Geral do Carbon Trust no Brasil, ressaltando que não se trata de uma competição entre selos.
“Eles não competem entre si, simplesmente atestam a pegada de produtos feitos em diferentes países e, para isso, é importante que as metodologias de medição de pegada sejam iguais e comparáveis. Existe, sim, a competição nos mercados para cada tipo de produto, o alumínio brasileiro, por exemplo, compete com o alumínio chinês em diversos países. O que o selo oferece é um diferencial competitivo a mais para as empresas poderem ressaltar na hora que estiverem tentando fechar contratos de venda”, diz
Ele sublinha que cabe a cada companhia avaliar se seus clientes em potencial vão ou não valorizar a pegada dos produtos na hora das decisões de compra. “Grandes empresas no mundo, compradores do alumínio brasileiro, como a Coca-cola, assim como governos, inclusive o brasileiro, têm políticas de compras ‘verdes’ e priorizam produtos com baixa pegada na hora de decidirem de que fornecedores vão comprar”, destaca.
Guy Ladvocat, gerente de Certificação de Sistemas na ABNT, lembra que o fato da matriz energética do Brasil ser mais limpa do que na Europa, por exemplo, já representa uma vantagem para a participação das empresas brasileiras em mercados internacionais, mas garante que isso não será motivo de acomodação.
“O que esperamos é que esta vantagem se materializando de fato será um grande incentivo para a redução das emissões, inclusive pelo fato de que os mercados de países mais conscientes em relação à questão ambiental vêm se tornando cada vez mais exigentes. A questão da proteção do meio ambiente só faz realmente sentido quando se busca um processo contínuo de redução dos impactos gerados pela extração de matérias primas, pelos processos produtivos, pelo uso e descarte dos produtos, ou seja, ao longo do ciclo de vida dos produtos”, explica a EXAME.com.
Para corresponder a essa expectativa, o certificado estará sujeito a revisões para se tornar ainda mais exigente ao longo do tempo. “Este tipo de programa de certificação não é estático. Hoje temos um nível de exigência específico, viável, e ao longo do tempo este nível de exigência será aumentado. Esta forma de atuação proporciona um incentivo para as empresas melhorarem seus processos e, ao mesmo tempo, proporciona também uma contínua redução dos impactos causados no meio ambiente”, pontua Ladvocat.
Mensurar para gerenciar
Foi buscando aperfeiçoar processos para reduzir suas “pegadas”, que a Novellis, empresa do grupo Novelis Inc., líder global em laminados e reciclagem de latas de alumínio, aderiu ao novo programa de certificação da ABNT. A empresa tem se empenhado em um esforço global para reduzir suas emissões de gases de efeito estufa desde 2011, quando foram definidas metas específicas.
“Nesse contexto, a certificação se apresenta como uma importante oportunidade de revisitar processos e, ao mesmo tempo, é um reconhecimento de que nossa estratégia está alinhada com práticas sustentáveis e que estamos trilhando o caminho certo”, afirma a EXAME.com Rogério Almeida, vice-presidente de Operações da Novelis América do Sul.
Ele acrescenta que a certificação também possibilita à Novelis agregar mais uma vantagem competitiva para a empresa e reitera seu comprometimento em alcançar a meta global de 50% de redução de emissões absolutas de gases de efeito estufa até 2020.
E que mais empresas brasileiras ambicionem voar alto assim — o caminho já está dado e o primeiro passo é calcular bem a pegada.
Fonte: EXAME.com
Compartilhe nas Redes Sociais:
Publicado em Blog
Com a nova ISO 9001:2015 divulgada no último ano, as empresas já começaram a se movimentar para se certificarem já na nova versão.
Dessa forma, a Construtora Teplan saiu na frente e, após o encerramento da auditoria no dia 9 de março, se tornou a primeira construtora de Minas Gerais a ser certificada pela nova versão.
Muitas mudanças foram implementadas na empresa, entre elas, destaque para a introdução da análise de riscos, que agora integra o Sistema de Gestão da Qualidade, juntamente com o Planejamento Estratégico Teplan.
Para o diretor da Teplan, Eduardo Augusto Nunes Soares, “possuir a certificação ISO 9001:2015 é mandatório, pois os clientes esperam receber serviços com qualidade e a Teplan atua em um segmento altamente competitivo e regulado, onde qualidade não é opção, e sim indispensável”.
Todo o processo de certificação ISO 9001:2015 foi conduzido como um projeto interno da Teplan com consultoria da AGQ Brasil, empresa especializada na implementação, auditoria e treinamento de sistemas de gestão.
“O grande desafio foi implementar o Sistema de Gestão da Qualidade sem impactar nos processos em execução e nos que já estavam sendo eficazes e eficientes. O fator qualidade sempre esteve presente na empresa, portanto,  precisamos apenas organizar e formalizar as informações documentadas”, explica a consultora da AGQ, Thamyres Barreto.
O projeto teve início em setembro de 2015, com a documentação inicial do PBQP-H Nível A, e o passo seguinte iniciou em dezembro de 2015 após a publicação mundial da Norma ISO9001 versão 2015.
Lucas Fernandes Soares, engenheiro da Teplan, entende que alguns fatores foram essenciais para o sucesso de todo o processo. “Sempre contamos com um bom planejamento estratégico, estamos há 30 anos no negócio trazendo uma grande base de conhecimento d setor, mas principalmente, pudemos contar com a participação de todos os colaboradores da Teplan e o apoio da AGQ Brasil.”
Construtoras certificadas na ISO 9001:2008 prestam serviços com qualidade, mas empresas certificadas na ISO 9001:2015, além de prestar serviços com qualidade, asseguram negócios contínuos e consistentes no longo prazo, trazendo maior segurança para os clientes.
Fonte: G37
Compartilhe nas Redes Sociais:
Publicado em Blog
English Portuguese Spanish
Sediada em Belo Horizonte e com escritório comercial em São Paulo, a AGQ Brasil é uma Franqueadora em que suas Unidades atuam
na área de Consultoria, Auditoria e Treinamento com foco em Sistemas de Gestão.
AGQ Brasil é marca registrada no INPI sob nº. 906876141
Siga a AGQ Brasil através das Redes Sociais

AGQ Brasil – BH

Rua do Inconfidentes, 867
2º andar, Bairro Funcionários
Belo Horizonte/MG
CEP 30.140-128
(31) 2532-2340

AGQ Brasil – SP

Rua Joaquim Floriano, 397
2º andar, Bairro Itaim Bibi
São Paulo/SP
CEP 04.534-011
(11) 3198.3604

Informe Público

A Diretoria da AGQ Brasil declara seu envolvimento, comprometimento, apoio e interesse no Sistema de Compliance, com desejo e disposição para assegurar a eficiência do Sistema e incentiva sobre a importância da aderência aos requisitos do sistema de Compliance e aos princípios de ética e integridade constantes no CÓDIGO DE CONDUTA.

Newsletter

Receba os melhores conteúdos sobre a AGQ Brasil. Cadastre-se agora para receber nossa newsletter.